15 de janeiro de 2010

Aspirante a DaVinci

Quando era pequena, meu pai e a escola me apresentaram aos livros. Minhas tias até hoje adoram lembrar que eu decorava as estórias que liam pra mim antes de saber lê-las sozinha. O primeiro livro de verdade que me recordo de ler foi A Princesinha, de Frances Hodgson Burnett. E depois, com 7 anos, quando meu pai me comprou um livrinho entitulado Harry Potter e a Pedra Filosofal (pausa para reação histérica de pottermaníaca assumida. Desculpem, mas HP é assunto sagrado para mim), consolidou-se uma paixão. Sempre estou lendo algo, nem que por culpa do sistema excludente de ensino brasileiro seja apenas um livro didático.
Apesar de adorar ler, muito cedo também, mas um pouco depois, desenvolvi uma segunda paixão: a matemática. Sei que parecem dois interesses muito distintos, mas essas coisas não se controlam. Sempre fui boa em matemática na escola (é aqui que eu ouço os gritos de "NEEEEEEEEEEEEEERD!"), e, mais importante, sempre gostei disso. Era aquela aluna de Olimpíada, orgulho do colégio. Hoje nem tanto.
Além disso, sempre tive uma fascinação pelo corpo humano, nos mais variados níveis. Em ciências, adorava ver como tudo funcionava dentro da gente; às vezes olhava no espelho e imaginava como tanta coisa cabia ali dentro, e como é que tudo se ligava e trabalhava tão direitinho.
Chegando ao ensino médio, as matérias se diversificaram e meus gostos também. Literatura, biologia, matemática, química e física... Ninguém acredita quando eu digo que gosto de tudo isso. Mas gosto sim. Muito, aliás, o que não me ajuda na hora de decidir o que fazer da vida. Tenho alguns meses ainda, e a decisão já quase formada, apesar de muitos acharem que ela não foi tomada puramente pela minha vontade.
Espero, pelo menos, ter muitos hobbies.

2 comentários:

Lucas Moreira disse...

DaVince , nem se acha
ahuahuahau
Mas q indecisao hauhaua

JoaoXM disse...

É, minha filha... agora você vê o que a gente passou ano passado. xD
Mas você vai fazer a coisa certa. E, bem... somos jovens, temos tempo para errar.